Como Escolher a Palheta Certa? Tudo Sobre Palhetas!

      Nenhum comentário em Como Escolher a Palheta Certa? Tudo Sobre Palhetas!

Você sabia que há uma diversidade muito grande de palhetas no mercado?! E que esse simples acessório de violão influencia totalmente no som produzido por ele? Continue lendo este artigo e saiba como escolher a palheta certa! 😉

Como Escolher a Palheta Certa

Como Escolher a Palheta Certa

Como Escolher a Palheta Certa?

Antes de falarmos sobre como escolher a palheta certa, é importante falar sobre a importância de uma escolha consciente. Já falamos sobre as parte do violão e como cada uma delas influencia no som do instrumento. Acontece que a palheta também tem papel fundamental no som produzido pelo violão!

Seja o primeiro a receber as novidades do blog!

Seu email está seguro conosco!

Existem palhetas de diversos materiais, espessuras e formatos. Cada uma delas resultam em um som diferente ao ser utilizada. Vamos falar de cada um desses atributos para que no final você consiga escolher a ideal para você!

Tipos de Palhetas – Espessura

Tipos de Palhetas - Espessura

Tipos de Palhetas – Espessura

Por padrão, a palheta pode apresentar 5 espessuras diferentes: XL – Extrafina (Extra Thin), T –  Fina (Thin), M – Média (Medium), H – Pesada (Heavy) e XH – Extrapesada (Extra Heavy). No geral, as mais finas são mais flexíveis e confortáveis porém, quebram com mais facilidade. Já as mais grossas, mais rígidas e menos flexíveis porém, possuem uma maior durabilidade. Mas, vamos detalhar cada uma delas para que fique mais claro! 😉

Espessura das Palhetas: XT – Extrafina (Extra Thin ou Extra Light)

As palhetas extrafinas possuem uma espessura de no máximo a 0,40 mm. São extremamente flexíveis e confortáveis, entretanto, essas palhetas produzem muito ruído nas cordas, ou seja, emitem sons quando entram em atrito com as cordas. Portanto, essas são as palhetas menos populares entre os músicos mas, são mais indicadas para a reprodução de acordes mais suaves.

Espessura das Palhetas: T – Finas (Thin)

As palhetas finas possuem uma espessura que varia de 0,40 mm à 0,63 mm. São bem flexíveis também e confortáveis. Também produzem ruídos mas, menos perceptíveis que os ruídos causados pelas palhetas extrafinas. São muito indicadas para bases e acompanhamentos.

Espessura das Palhetas: M – Médias (Medium)

Essas são as mais populares entre os músicos! As palhetas médias possuem uma espessura que variam de 0,63 mm a 0,85 mm. Tem menos flexibilidade que as anteriores e apresentam um bom desempenho no som reproduzido, pois conseguem ter mais força no impacto com as cordas. Apresentam menos ruído e são mais confortáveis que as palhetas pesadas. É uma ótima opção para guitarristas, principalmente para a reprodução de bends e licks.

Espessura das Palhetas: H – Pesadas (Heavy)

As palhetas pesadas possuem uma espessura que variam de 0,85 mm a 1,22 mm. São mais rígidas, por isso apresentam pouco ruído no contato com a corda. Além disso, oferecem um som mais claro, limpo e definido. São muito indicadas para a reprodução de solos.

Espessura das Palhetas: H – Pesadas (Heavy)

As palhetas extrapesadas possuem espessura que vão além de 1,22 mm. Existem palhetas de 2 mm, 3 mm… E por aí vai. Essas são as mais utilizadas por baixistas, talvez porque o baixo possui cordas mais espessas. Além disso elas tornam o som mais forte e auxiliam na sincronia com a bateria. Oferece extrema precisão para os solos, mesmo de guitarra.

Espessura das Palhetas

Como Escolher a palheta Certa

Como Escolher a palheta Certa

É importante dizer que não há regras no meio musical. Portanto as informações sobre a espessura das palhetas são apenas informativas, baseadas no que acontece na maioria dos casos e o acontece geralmente é:

  • Quanto mais fina, mais ruído a palheta apresenta no contato com as cordas;
  • Quanto mais fina, mais confortável, porém menor a durabilidade;
  • Quanto mais grossa, maior a durabilidade, porém menor o conforto.

Tipos de Palhetas – Materiais

Tipos de Palhetas - Tamanhos

Tipos de Palhetas – Tamanhos

O material mais utilizado na fabricação das palhetas é o plástico. Entretanto, não é o único, veja abaixo alguns materiais que são também utilizados, além do plástico:

  • Celuloide: É o material utilizado na maioria das palhetas. Ela oferece uma alta qualidade no som reproduzido, é bem popular entre os músicos, porém pouco resistentes.
  • Nylon: É um material muitíssimo flexível, mais utilizado nas palhetas finas ou extrafinas. O grande problema é que esse material perde a flexibilidade em poucos meses (quando muito utilizada) portanto pode quebrar com facilidade.
  • Acetal: Este é um plástico de alta durabilidade, duro, brilhoso e liso. Ele tem a vantagem de produzir pouco atrito com as cordas, e isso resulta em um som mais limpo, com pouco ruído de palheta.
  • Acrílico: Este é um material bem resistente ao impacto, rígido porém, é leve. Não é quebradiço e normalmente não trinca. É ótimo pois é um material que possibilita  a criação de palhetas de diversos formatos, espessuras e tamanhos.
  • Metal (alumínio): O metal é o material que oferece um som mais limpo que o plástico. O grande problema é que usar uma palheta de metal irá desgastar as cordas do instrumento e desafina-las mais rápido, principalmente nos casos de instrumentos acústicos, como o violão.
  • Madeira: As palhetas feitas de madeiras apresentam um som mais abafado que as de plástico. Nestas palhetas são utilizadas somente madeira mais rígida, pois as menos rígidas não suportariam o atrito com as cordas.
  • Casco de tartaruga: Esse material foi PROIBIDO. Entretanto foi um dos primeiros materiais utilizados para a fabricação de palhetas.
  • Vidro: As palhetas feitas de vidro são mais rígidas, pesadas e espessas que todas as demais.

Aqui vale o mesmo que para a espessura. Quanto mais rígido o material, maior a durabilidade e menor ruído, porém, menos confortável. Quanto mais flexível o material, mais ruído, menor a durabilidade porém, mais confortável. 😉

Tipos de Palhetas – Formatos

Tipos de Palhetas - Materiais

Tipos de Palhetas – Materiais

Quanto aos formatos há uma infinidade deles no mercado! Os mais comuns são os triangulares, elípticos e gota, entretanto, você vai encontrar até no formato da barbatana do tubarão… rs. Aqui é preciso testar e ver qual mais te agrada. Entretanto, aqui vão algumas curiosidades:

  • As triangulares são mais indicadas para as palhetadas em violão e guitarra;
  • As palhetas em formato de gotas, oferecem um som mais suave;
  • As elípticas são muito utilizadas pelos baixistas;
  • As dedeiras são muito mais utilizadas pelos músicos que tocam choro ou samba.

É importante dizer também que algumas possuem a lateral mais reta e outras uma lateral chanfrada. Você precisa testar pra ver qual gosta mais, entretanto, as mais retas são mais indicadas para solos e as chanfradas para base, pois deslizam melhor pelas cordas. 😉

Como Escolher a Palheta Certa?

Como Escolher a Palheta Certa

Como Escolher a Palheta Certa

Respondendo a pergunta: “Como escolher a palheta certa“? A verdade é que não há uma palheta certa ou errada! Apenas leve em consideração os itens abaixo para escolha:

  • Gosto: Você precisa se adaptar à palheta, ela precisa ser confortável para você;
  • Calibre das cordas: Se você usa um instrumento com cordas mais grossas é interessante optar por uma palheta mais grosa ou com material mais rígido;
  • Finalidade: Solos pedem palhetas mais rígidas, base pedem palhetas mais flexíveis.

Lembre-se, teste o máximo de palhetas que conseguir e escolha aquela que mais te agradar. A palheta é um dos acessórios mais baratos do meio musical, vai ser legal pra sua experiência como músico experimentar os variados tipos. 😉

Eu confesso que prefiro tocar violão com os dedos (rsrs), pois gosto muito de dedilhar e apesar de eu saber fazer isso com as palhetas, acho que o som fica muito mais suave quando toco com os dedos. E você? Gosta de palhetas? Conta nos comentários qual a sua palheta preferida! Eu quero saber! 

Veja aqui sobre os tipos de cordas e se você for iniciante leia aqui 10 dicas especiais para você! 😉 
Compartilhe esse conteúdo com seus amigos violonistas! 

Até mais! 😉