Nome das Partes do Violão e Suas Funções

      Nenhum comentário em Nome das Partes do Violão e Suas Funções
Nome das partes do violão

Nome das partes do violão

E se eu te disser que conhecer o nome das partes do violão e suas funções, faz toda a diferença na experiência de tocá-lo?! Sim! Isso porque a partir disso você passa a:

  • Entender o funcionamento do violão;
  • Saber identificar se o seu violão está com defeito ou não;
  • Ter um maior conhecimento para escolher o violão ideal, o primeiro ou um novo;
  • E ter uma melhor experiência como músico.

Ou seja, é essencial conhecer o instrumento o qual está se dedicando a tocar. Cada parte do instrumento tem total influência no resultado final do som que você irá fazer. Por isso, conheça abaixo as partes de um violão clássico simples e tire maior proveito do seu melhor amigo, violão.

Seja o primeiro a receber as novidades do blog!

Seu email está seguro conosco!

Nome das partes do violão e suas funções

Um violão pode ser feito de diversos materiais, metal, vidro, madeira (o mais comum) e até vazados. Vamos pensar em um instrumento clássico de madeira e a partir disso detalhar o nome das partes do violão.

1. Mão do violão

Mão do violão

Mão do violão

A mão do violão também é chamada de cabeça, headstock ou cabeçote. É a parte de cima do instrumento. É nela que, normalmente, são gravadas as marcas dos violões.

Acredita-se que o tamanho e o peso da mão do violão influenciam no som produzido por ele. Nessa teoria, quanto maior a mão e mais pesada maior será a absorção da vibração das cordas, e isso resultará em uma maior qualidade sonora.

2. Tarraxas do violão

Tarraxas do violão

Tarraxas do violão

As tarraxas ou cravelhas são as “borboletinhas” posicionadas na mão do violão. Existe uma para cada corda e elas controlam a afinação da corda correspondente ao ser girada para um lado ou para outro (apertando ou soltando).

Elas podem ser feitas de plástico ou metal, mas as tarraxas de metal são as mais procuradas, já que garantem uma maior estabilidade no instrumento.

É importante que as tarraxas estejam presas corretamente, pois um defeito nesta parte prejudica a afinação da corda, e é impossível tocar um instrumento desafinado. Por sorte, elas são vendidas separadamente ou o jogo, ou seja, é possível troca-las sem muita dor de cabeça caso dê problemas.

3. Pestana do violão

Pestana do violão

Pestana do violão

A pestana é a parte que une a mão ao braço do violão. As cordas passam por ela e direcionadas até as tarraxas para afinação. Por isso é importante que a pestana esteja em bom estado e que tenham sido produzidas com um bom material, pois um problema nessa parte pode influenciar na afinação e, consequentemente, no som produzido pelo violão.

Pode ser feita de vários materiais. O material mais comum é o osso, mas também existem as de plástico, por exemplo, entretanto as de plástico não garantem tanta estabilidade quanto as de osso ou metal.

É essa partezinha pequena que parece não fazer sentido, que garante uma boa entonação, afinação, precisar estar na altura correta para facilitar a digitação das notas, e regular para evitar sons indesejados.

Por isso tenha sempre uma atenção especial a essa parte. Mas se ela apresentar algum defeito é possível substituí-la, entretanto não tente fazer isso em casa, o ideal é procurar um profissional especializado em violões, o Luthier.

4. Braço do violão

Braço do violão

Braço do violão

O braço do violão é a parte seguinte à pestana. Dentro do braço do violão há um tensor, principalmente nos violões de cordas de aço, que nada mais é do que uma peça de metal ou madeira mais rígida que controla a envergadura do braço de acordo com a tensão da corda. Isso é necessário porque as cordas de aço tendem a ter uma tensão maior, e o tensor pode ser ajustado para evitar que o braço empene.

Na parte da frente do braço do violão é onde fica a escala. O tamanho dessa escala influencia diretamente no som do violão. Quanto maior a escala, maior a tensão das cordas, logo o som do violão tende a ficar mais alto e agudo. Quanto menor a escala, menor será a tensão nas cordas, e o som tende a ficar um pouco mais grave.

Existem escalas de vários tamanhos (630 mm, 640 mm, 650 mm… e por aí vai). Antes de escolher o tamanho da escala do seu violão pela sonoridade é importante analisar se o tamanho dela é compatível com o tamanho da sua mão. Se a sua mão for muito pequena, tocar um violão com escala de 665 mm, por exemplo, será mais difícil, do que um de 640 mm. Se atende a isso.

5. Braço do violão: Trastes, casas e suas marcações 

Trastes, casas e marcações

Trastes, casas e marcações

A escala é dividida em vários espaços chamados de casas e separados por trastes. Os trates são os pequenas partes de metal e as casas são os espaços entre os trastes. São essas partes que dividem a escala em semitons.

Isso significa que cada cada casa equivale a um semitom e assim. Para ficar mais simples, vamos pensar na 1ª corda Mi (E), Quando tocada solta ela emite o som do tom Mi, ao prendê-la na primeira casa irá avançar um semitom, logo ao ser tocada emitirá o tom Fá. Na segunda casa, Fá# e assim por diante.

O número de casas varia de acordo com o modelo do violão. Não necessariamente em função do tamanho físico do braço do violão.

6. Corpo do violão: Caixa acústica 

Corpo do violão - Caixa acústica

Corpo do violão – Caixa acústica

A caixa acústica nada mais é do que o corpo do violão. Ele é formado pelo fundo (parte de trás), pelo tampo (parte da frente) e pelas laterais do violão e é essa parte que amplifica o som das notas do violão.

Existem caixas acústicas de diversos materiais, mas o material ideal é a madeira. Isso porque a madeira sólida permite uma melhor sonoridade em comparação ao compensado, por exemplo. Isso significa que essa parte tem total influência no som emitido pelo violão.

No tampo é onde fica a boca do violão. É ela que faz a transmissão das ondas sonoras do violão. E ao redor da boca existe a roseta. Muitos acreditam que a roseta tem apenas a finalidade decorativa, mas além disso, ela também firma a madeira de forma a evitar com que seja lascada.

Com relação ao tamanho da caixa acústica e da boca, geralmente violões com uma boca menor produz um som mais agudo se comparado a um violão com uma boca maior. O mesmo tende a ocorrer com a caixa acústica, se a caixa for muito larga, o som produzido tende a ser mais grave e ter menor definição se comparada a uma caixa mais fina.

Entretanto o tamanho é apenas um dos fatores que influenciam na sonoridade. Para definir a melhor caixa acústica é necessário avaliar não só o tamanho, mas também o material e a anatomia, por exemplo. Na dúvida, procure um Luthier. 😉

7. Cavalete do violão

Cavalete do violão

Cavalete do violão

O cavalete é uma pequena parte posicionada na parte de baixo da caixa acústica. O material pode variar de acordo com o tipo das cordas pois uma de suas funções é prendê-las.

O cavalete do violão também influencia na sonoridade do instrumento. Ele além de prender as cordas, influenciam na mudança de tom do instrumento. Apesar de ser possível ser feito de diversos materiais, o de madeira também é o mais indicado, já que apresenta uma maior estabilidade se comparado aos de plástico.

É no cavalete que fica o rastilho. Uma pequena parte fixada no cavalete que pode ser feito de osso, marfim ou materiais sintéticos. Influencia na afinação, no timbre e até no volume do som do violão.

Quando apresentar algum defeito, pode ser trocado. Mas tome cuidado ao fazer isso em casa, um rastilho mal posicionado pode prejudicar a afinação e o timbre do instrumento. Sempre que notar algum defeito nessa parte, procure um Luthier.

8. Cordas do violão

Cordas do violão

Cordas do violão

As cordas merecem um destaque especial em um artigo só para elas, que você lê aqui. Acho que não é necessário dizer a importância que representam na sonoridade produzida pelo violão…haha.. Mas é importante lembrar da atenção que elas merecem.

Normalmente os violões clássicos simples possuem 6 cordas, nomeadas da mais aguda para a mais grave: Mi (ou mizinha para os íntimos..rs), Si, Sol, Ré, Lá, Mi.

Observe que as cordas de aço podem enferrujar com o tempo, portanto é importante trocá-las periodicamente. Mantê-las limpas também é necessário (veja mais dicas de cuidados aqui).

Nome das partes do violão – Conclusão 

Nome das partes do violão - Conclusão

Nome das partes do violão – Conclusão

Como viu, conhecer o nome das partes do violão é essencial, já que elas não são simplesmente decorativas. Cada uma delas tem total influencia no som produzido por ele. Essas são as partes mais básicas de um violão clássico simples. Há violões com maiores particularidades, mas a maioria terá todas essas citadas aqui.

Fique atento à qualquer sintoma de irregularidade no som do seu violão, pode ser alguma parte com defeito. Procure um Luthier se não conseguir identificar o problema sozinho, lembre-se que ficar tocando um violão com defeito pode prejudicá-lo ainda mais.

Cuide bem do seu amigo violão para tê-lo sempre por perto. 🙂

Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário! Faltou alguma informação que você sabe? Também pode deixar seu comentário! Na vida estamos sempre aprendendo uns com os outros, ficarei muito feliz de aprender algo contigo! 🙂

Ah! Faltou eu dizer que com esse conhecimento você vai acertar com certeza na escolha do violão correto a ser comprado. Mas se quiser mais 5 dicas essenciais para comprar o violão correto clique aqui! Se você já comprou veja aqui dicas para aprender a tocá-lo sozinho! E aqui se os cursos online valem a pena!

😉

Até mais. 🙂